História

No final dos anos 90, quatro membros da família Gois – pai, mãe e duas filhas – chegavam à um consenso: “chegou a hora de reunir nossos dons e talentos para criar a nossa escola”. Com nome escolhido, a grande questão que restava era onde seria instalada a escola PGD (abreviação de Para Glória de Deus).

E é aqui que chegamos àquele momento.

Parados em frente a um terreno repleto de árvores, Silvia e Emanuel observavam a natureza e imaginavam como a escola que eles ansiavam construir juntos às filhas, Fabíola e Patrícia, deveria ser. Em seus corações, o PGD seria como aquele local: vivo, cheio de cor e muito mais do que apenas quatro paredes. Um corretor de imóveis que passava pela avenida os notou, parou o carro e conversou com o casal. Alguns minutos – e quadras – depois, lá estavam eles em frente ao imóvel que refletia a essência da escola e que iniciaria o sonho PGD. Para alguns, coincidência, para a família, providência.

O colégio abriu as portas com nove funcionários e 57 alunos. Hoje, 21 anos e muitas providências depois, Emanuel, Silvia, Fabíola e Patrícia têm a alegria de observarem o crescimento da escola, tanto em tamanho quanto relevância. Contudo, mais do que isso, a família Gois – que agora se transformou na família PGD – se orgulha em manter firme um propósito: glorificar o nome de Deus através de uma escola viva, íntegra, atual e que forma e transforma a vida de centenas de pessoas.